terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Autoavaliação

Então, o Gestar...

Esse ano de 2009 foi complicado, e sinceramente, em muitos dias, parecia que não valia a pena continuar.
Dentre tantos benefícios do GestarII, o primeiro que quero citar, é o de renovar as forças. Um fôlego para continuar. Isso através, principalmente, do convívio com as colegas formadoras e com as cursistas.
Sinto-me grata porque desde o início, o meu relacionamento com as cursistas foi sempre amigável. E impressiona-me a confiança que têm em mim, mesmo eu sendo a caçula da turma.
Não sinto que confiem em meu conhecimento. Alguns sabem muito mais do que eu. Mas, aceitam meus palpites, minhas opiniões, meus direcionamentos.
Talvez porque eu tenha dito desde o início que o que nos diferenciava era apenas um curso de formação. Eu também tinha que estudar os TPs como elas. Meu papel no grupo era de direcionar os estudos, acompanhar, ajudar, e avaliar.
Espero que eu tenha conseguido deixar bem claro, o quanto as admiro e acredito nelas. E quanto aprendo e me espelho nas suas práticas.
Confesso que as vezes fui bem exigente. Mas sinto que também soube ser mais flexível e compreensiva.
A "minha" turma do GestarII é um grande presente. São professoras criativas, estudiosas, caprichosas, animadas, persistentes, comprometidas.
Elas têm influenciado muito minha jornada como educadora. Aliás, cada uma de nós tem sido bem moldada pelo GestarII.
As formações que recebemos foram muito importante para desenvolver o curso. Claro que o tempo não é suficiente para tudo que queremos. Mas foi suficiente para o que precisamos. Não puderam respoder tooodos os nossos questionamentos, mas foram bem norteadoras.
Não há como não usar a expressão divisor de águas para o GestarII. É bem clara a mudança na nossa prática pedagógica e nossa cosmovisão, já que direciona nosso olhar para um estudo da língua não mais privilegiando a norma culta, e sim atentando para as variantes.
Os gêneros são a tão esperada solução para as produções de texto. A partir deles, fica claro qual linguagem será usada, e orienta todas as outras decisões no momento da escrita.
Não é sem motivo que o material do GestarII é repetitivamente elogiado. Seu conteúdo é aprofundado, mas sem ser teórico demais. E é perfeitamente aplicável ao nosso cotidiano. As atividades propostas são atraentes e prazeirosamente desenvolvida pelos alunos.
Estar no GestarII tem valido muito a pena para mim. Sinto-me privilegiada. Porque atende nossos anseios. É uma ferramenta de estudo. É um constante compartilhar de experiências, material, alegrias, ansiedades, e vivências.

Esse videozinho ajuda a me expressar:

video

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Oficina 12: TP6 – 12/12/09

Objetivos:

  • Identificar estratégias relacionadas ao planejamento e à revisão durante a escrita de textos.
  • Rever as questões principais da escrita e da reescrita de textos

Parte I –Avançando na Prática ( 7:30 – 8:30)

A socialização dos Avançando foi bem proveitoso, porque as cursistas incrementaram as atividades, deixando-as muito divertidas. Uma das cursistas, trabalhou o texto argumentativo, pedindo aos seus alunos que criassem propagandas para coisas impossíveis.

Ex.: Vender um pente para uma cidade onde todos eram carecas;

Vender um aspirador de pó para uma cidade submarina ...

Todas rimos muito e ficamos empolgadas em trabalhar essa atividade com nossos alunos no próximo ano.


Parte III - Atividade – trabalho em grupo (8:30 – 10:00)

Trabalho

1- Responder às atividades relacionadas às páginas indicadas

2- Organizar a apresentação das discussões do TP (esquema)

3- Elaborar um parágrafo, utilizando o tipo de argumento solicitado

Tese: O cuidado com a saúde física e o gerenciamento da estética corporal tem feito do corpo uma importante fonte de preocupações no século XXI.

Grupo 1- argumentos baseados no senso comum ou no consenso (p. 25-27)

Grupo 2 – argumentos baseados em provas concretas (p. 28-30)

Grupo 3 – argumentação por exemplo (p. 30-32)

Grupo 4 – argumento de autoridade (p. 32-34)

Grupo 5 – argumentos por raciocínio lógico (p. 34-36)

Socialização (10:00 min.)


Fiz uma adaptação dessa oficina trocando a análise do livro literário pela atividade proposta pelo pessoa de Aracaju, que estava no cd dado por Tamar, porque ao estudarem esse TP, as cursistas sentiram a necessidade de aprofundar mais na teoria do texto argumentativo, em virtude de ser ele o que os alunos aprensetam maiores dificuldades de aprendizado.

Com a discussão de cada tipo de argumento, sentimos que seria interessante, explicar para os alunos na mesma sequencia.


Parte IV - Avaliação

As cursistas apreciaram muito essa oficina e disseram ter aprendido muito, e que para o próximo ano, seus planos de curso ficarão mais voltados para o que tem aprendido no Gestar, e principalmente, que estarão atentas a necessidade de desenvolver textos argumentativos desde a 5ª série, de acordo com a maturidade dos alunos. Trabalhando aspectos simples como textos para pedir o pai para sair...


Parte V – Confraternização

Lanche coletivo e amigo oculto da hora


Esse momento de despedida foi muito alegre, e com a revelação do amigo-oculto da hora, pudemos revelar as impressões que tivemos umas das outras e como foram mudando, e a necessidade que temos de estar nos encontros, e como a convivência tem sido enriquecedora.


E para 2010, estão animadas a continuarem firmes estudando os TPs, aplicando os Avançando, fazendo os seus relatos, e comparecendo as Oficinas.


Até aqui o que deixaram claro é que fazer o Gestar II tem valido a pena




3ª Etapa de Capacitação - BH, 22 - 23/11/09


















OFICINA 11 - TP 6- 14-11

Objetivo:

  • Identificar estratégias relacionadas ao planejamento e à revisão durante a escrita de textos.

Parte I – Começando a conversa – Analisar a frase: “Somos seres argumentativos [...] usamos a linguagem para agir sobre o outro: para convencê-lo a se comportar como desejamos.”

Discutir as implicações nas relações de poder; na formação da cidadania; no desenvolvimento humano

2. Parte III - Atividade

  • Desenvolver uma crônica a partir de um trecho do texto de Moacyr Scliar em grupos.
  • Ler o trecho da crônica, planejar e escrever como o impasse foi resolvido.
  • Escolher um membro para anotar todas as tomadas de decisão, durante a escrita do texto.
  • Apresentação e discussão sobre a importância do desenvolvimento do conhecimento de estratégias e das tomadas de decisão na nossa escrita, para podermos ajudar os alunos a se tornarem escritores autônomos.
  • Fazer um planejamento para a utilização desta crônica em sala de aula, para trabalhar aspectos da escrita e planejamento com os alunos
  • Apresentação dos planejamentos.

3. Avaliação da oficina

Este TP foi muito bem recebido pelas cursistas, porque responde a muitos questionamentos de como trabalhar textos argumentativos, com os quais os alunos apresentam maiores dificuldades.

A discussão dos Avançando na Prática foi adiada para a oficina do dia 12/12 em virtude de uma semana de prazo entre a oficina anterior e esta.

As cursistas se empolgaram muito com a atividade. Fizeram a análise do texto com muita disposição e produziram textos bem criativos, assim como os roteiros de aulas para os alunos.

Sentimos a necessidade de aprofundar um pouco mais no estudo do TP na próxima oficina, trabalhar mais os conceitos nele apresentados.


4. Tarefas para o próximo encontro

5. Despedida.



OFICINA Avaliativa- 07-11

Objetivo:
  • Refletir como o Gestar II vem sendo feito nas escolas e o que se tem aprendido com ele.

1. Recados:
1.1. Oficinas de 2009 acontecerão no Cesec (dias letivos na E. E. Gonçalves Chaves)
1.2. Agendamento de visitas (ou a critério da formadora)

2. Explicação da dinâmica da oficina

3. Entrega das questões
1. Como acontece o Gestar II em sua escola e na sala de aula?
2. Fale sobre a sua concepção de Língua antes e depois do Gestar II.
3. Comente os conceitos apreendidos nos TPs 3, 4 e 5.
4. A partir dos conceitos apreendidos, como você aprimorou o planejamento das suas ações pedagógicas?
5. Qual material do Gestar II foi mais útil na sua prática pedagógica?
6. Foi preciso fazer adequações do material do Gestar II para atender as necessidades dos seus alunos? Quais?
7. Como foi a aceitação do Gestar II pelos alunos?
8. Quais as dificuldades de leitura mais comuns encontradas nas atividades dos seus alunos?
9. Quais as dificuldades de escrita mais comuns?
10. De que forma você procura solucionar as dificuldades de leitura e escrita apresentadas pelos alunos?
11. Que evoluções você percebeu nos seus alunos a partir do Gestar II?
12. Comente a socialização das práticas pedagógicas nas oficinas.

4. Encerramento

A oficina exigiu um pouco mais das cursistas, que passaram todo tempo respondendo as questões propostas. Ficaram muito preocupadas em responder “correto”. Tentei orientá-las que escrevessem a realidade, e que fossem mais simples com as respostas, preocupando em serem fiéis as suas experiências durante o curso, e ao que realmente tinham aprendido com toda teoria estudada. Pedi que não mascarassem a realidade, visto que o maior interesse do Gestar II é ressignificar a prática pedagógica. E para tanto, era necessário expor as dificuldades e avanços com o curso.

Não foi possível fazermos a socialização porque muitas cursitas ficaram respondendo até o final da Oficina.

OFICINA LIVRE- 24-10

Objetivos:
  • Aprender redigir o projeto aos moldes do Gestar II
1. Recepção – Cumprimento pelo dia do Professor
  • Recital de poemas pelas formadoras
  • Recital de poemas pelas cursistas que desejarem
  • Música Anjos da Guarda
  • Entrega de pirulitos
2. Inicio dos trabalhos nas salas
  • Explicação do novo Cronograma (datas)
  • Recebimento termos de compromisso;
  • Leitura da Circular DCRH/SRH N° 132/2009 de 19 de outubro de 2009.
3. Orientações sobre projeto
  • Distribuir texto sobre as orientações:
PASSOS DA ELABORAÇÃO DE UM PROJETO – GESTAR II
1 – TEMA (Temática): O assunto do projeto, sobre o eu você quer falar ou trabalhar. O projeto do Gestar prevê um tema relacionado aos seus conteúdos estudados: Gêneros, Letramento (elementos lingüísticos e culturais), Escrita e Leitura.
2- JUSTIFICATIVA (Apresentação – Problemática) - Exposição das razões do projeto. A justificativa do tema envolve motivos de ordem teórica e prática. È fundamental que se comprove a necessidade do trabalho a ser desenvolvido e também o esclarecimento acerca daquilo que motivou o desenvolvimento do projeto. Neste momento, expõe-se ou identifica-se o problema, ou seja, a problematização ou situação-problema a ser observada e resolvida com o desenvolvimento do projeto. Devem-se apresentar também as contribuições e o provável avanço que se pretende alcançar.
3- FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICOS – Os conceitos e teorias que orientarão, darão base a todas as ações desenvolvidas ou que despertaram a necessidade do projeto.
4- OBJETIVOS
4. I: GERAL: É aquele que dá visão geral do assunto do projeto. Expõe-se exatamente o que se pretende com o projeto. Está diretamente relacionado à problematização. (O objetivo é apresentado com verbos no infinitivo e sempre na perspectiva das ações dos sujeitos envolvidos.).
4.2: ESPECÍFICOS: ligam-se ao Geral, porem, com exposição especifica. Além do ponto central do projeto, devem-se esclarecer os elementos que o cercam e facilitar o alcance do objetivo geral. Ex:. Desenvolver a prática de leitura entre os adolescentes (geral). Ler textos voltados a adolescentes. (específico)

METODOLOGIA: Informa os meios (ações) empregados para se alcançar os objetivos propostos, isto é, estabelece o procedimento tomado para a eficácia na resolução do problema.

CRONOGRAMA: Define as etapas de desenvolvimento do projeto e seus respectivos prazos.

IMPORTANTE: O projeto pedagógico é desenvolvido , na maioria das vezes, para resolver problemas relacionados à aprendizagem, disciplina ou socialização. Dessa forma, ele se atem a uma realidade que deve ser obedecida pelas condições e propósitos dos atores envolvidos.

  • Discutir cada passo;
  • Propor o esqueleto do projeto das cursistas.

4. Avaliação da oficina

A oficina atendeu seu objetivo de esclarecer, e ensinar produzir ou adequar um projeto aos moldes do Gestar II. Além de discutirmos detalhadamente cada passo, auxiliadas pelo Caderno do Formador, pudemos visualizar a teoria com exemplos de projetos das cursistas e outros levados para a oficina.

As cursistas avaliaram como muito proveitoso o estudo em conjunto, principalmente pela troca de experiência, dos projetos que estão desenvolvendo e demonstraram-se encorajadas e finalizar a redação do projeto com as devidas correções.

Enfatizamos também que o Gestar II deve servir como um ponto de partida para o hábito de registrar os vários projetos que são executados ao longo do ano letivo nas escolas.

5. Encerramento e despedida

OFICINA 10 - TP 5- 26-09



Objetivos:

  • Identificar elementos lingüísticos responsáveis pela continuidade de sentidos em um texto;
  • Analisar mecanismos de coesão referencial;
  •  Analisar mecanismos de coesão seqüencial.
  • Relacionar os conceitos do TP5 com o filme “Narradores de Javé”.



1. Assistir ao filme “Narradores de Javé”

                      
2.  Atividade em grupo

  •     Divisão da turma em grupos segundo a série que dão aula
  •    Responder as perguntas:

  1. Qual o papel do escriba naquela comunidade?
  2. Analise o processo de construção da escrita do personagem que faz o papel de escriba. 
  3. Como  vocês percebem a relação entre ser alfabetizado e ser letrado no contexto do filme?
  4. Qual a importância do escriba na construção da leitura e da escrita?
  5. Aponte as marcas estilísticas  dos narradores.
  6. Como a coerência é construída no filme?
  7. Há coesão em narradores de javé? Justifique sua resposta.
  8. Que elementos de textualidades são apresentados no filme?


4. Compartilhar das discussões com as outras cursistas de todas as turmas de Língua Portuguesa.



5. Tarefas para o próximo encontro 


6. Despedida.


 Esse encontro foi muito prazeroso. As cursistas se divertiram com o filme, e participaram efetivamente da discussão com os assuntos da TP.
Além de mudar a rotina, essa oficina possibilitou-nos voltar em conceitos de TPs estudadas anteriormente e que no primeiro estudo, não tinham feito tanto sentido.
Apesar da chateação de ter que adiar o filme, assisti-lo nessa oficina foi muito melhor, porque pudemos tratar do TP5 todo.
    Estar com as colegas-formadoras e suas cursistas também foi muito bom e enriquecedor.